Retirado do blog https://criandoumamicronacao.wordpress.com em 23/01/2015

NÃO CONTINUE SEM LER ESTE AVISO: antes de decidir criar uma nova micronação, veja se aquelas já existentes não lhe agradam. Na maior parte dos casos, iniciar no micronacionalismo criando uma nova micronação é um péssimo negócio e você pode "queimar" seu nome e seu projeto perante o micromundo. Ganhe experiência primeiro. Você pode crescer, e muito, dentro de um projeto já ativo. DECIDIDAMENTE, CRIAR UMA MICRONAÇÃO NÃO É A MELHOR FORMA DE COMEÇAR NO MICRONACIONALISMO! 

Veja nosso link com micronações ativas e escolha participar de uma.

 

  1. Micronação não é rpg ou qualquer tipo de jogo, é um tipo de sociedade virtual, onde tudo se organiza como se fosse, realmente, um país. Numa micronação seus membros “vivem” aquela realidade na internet; 

  2. Uma micronação pode ser do tipo que cria (ou não) um território fictício ou, o mais comum, que usa um território real no mundo como representação. Se escolher o segundo modelo certifique-se, contudo, de que a sua micronação não reivindique um território já reclamado por outra micro existente no seu grupo linguístico, neste caso as micronações de língua portuguesa, ou lusofonia;
    1. NÃO CRIE SUA MICRONAÇÃO SEM, ANTES, BUSCAR INFORMAÇÕES NO GRUPO MICROMUNDO EXPRESS, NO FACEBOOK !

  3. Se você deseja criar uma micronação totalmente fictícia, tudo vale, mas se você optar pelo modelo mais conhecido – histórico-modelista -, ou seja, as que usam como referencial algum país do mundo real, estude antes a respeito, evite cair no ridículo. Você precisa ser respeitado pelas demais micronações, não execrado por elas; 

  4. Decida a forma de governo que achar melhor: monarquia parlamentar ou absolutista, república presidencialista ou parlamentar, ou alguma outra que achar realmente viável para o seu projeto. 

  5. Decida como funcionará sua micronação, enfim, a forma pela qual os cidadãos irão se comunicar de modo geral. Alguns formatos são:
    1. Web forum próprio (phpbb, kunena, etc)
    2. Lista de e-mail (yahoo grupos, google groups, etc)
    3. Rede social (facebook, orkut) 

  6. Construa um web site. É fundamental que você tenha nesse web site informações básicas sobre sua micronação como símbolos, sistema de governo, território (se houver), poderes (executivo, legislativo, judiciário), contato para relações internacionais (chancelaria ou ministério de relações exteriores), formulário de cidadania (para aqueles que desejarem se tornar cidadãos), formulário de turismo (para visitantes de outras micronações ou não-micronacionalistas)
    1. Não sabe fazer um formulário de e-mail? Não se apavore! Há vários serviços gratuitos na internet e que oferecem esse serviço.

  7. Você pode iniciar uma micronação sozinho, mas o mais indicado é que você tenha a seu lado alguns amigos para começar, pessoas que serão os cidadãos e que ajudarão no funcionamento da nova micro. Existem de fato micronações de um único membro – as one man nations – entretanto, a comunidade intermicronacional costuma dar pouco crédito a estas, o que pode lhe atrapalhar. 

  8. Muito embora o universo micronacional se valha da imaginação e do mundo virtual, cuidado com excessos. Não deixe que sua micronação caia no ridículo. Invente, imagine, crie mas com um mínimo de bom senso, mostre que sua micronação tem um sentido sério, de que não é uma mera aventura, mas algo que veio para ficar. Movimente-a positivamente! 

  9. Ok. Você montou sua micronação! Agora é hora de divulgá-la ao micronacionalismo. Faça isso de modo sério, com um manifesto bem escrito (cuide na hora de escrever, nada mais humilhante que iniciar um novo projeto cheio de erros de escrita). Evite conflitos. Se for provocado, ignore. Guerras são absolutamente inúteis no universo micronacional!!
    1. Nessa fase de divulgação é importante que você busque contato com outras micronações. Seja gentil, mostre-se solicito – mas não subserviente – e deixe claro que você gostaria de realizar a troca de reconhecimentos diplomáticos.
    2. Para divulgar sua micronação, inscreva-se em listas intermicronacionais. A inscrição é gratuita e você pode enviar para lá seus atos oficiais. Algumas listas são:
      1. O Informante
      2. A Reuniana
      3. Imprensa Livre

  10. Feito tudo isso, o passo principal é: acredite no seu projeto! Nem começe uma nova micronação se realmente não deseja levá-la adiante. Sim, dá trabalho! Mas o micronacionalismo é um hobbie sem igual e se você der uma chance a ele, vai vibrar

Online agora

Últimos eventos

No events

Translate

ptafarcazh-TWnlenfrdeeliwitfaplrues
Scroll to top